Como funciona a visão?

Ao olharmos em direção a um objeto, a imagem atravessa a córnea, espécie de lente natural do olho, chegando até a íris, que regula a quantidade de luz recebida pela pupila.
Depois, a imagem chega até o cristalino e vai em direção à retina, que transforma as ondas luminosas em impulsos eletroquímicos a serem decodificados pelo cérebro, responsável pela formação das imagens como vemos.

Tecido transparente que cobre a pupila, a abertura da íris.
A córnea, junto com o cristalino, é responsável por ajustar o foco da imagem no olho.

Localizada atrás da pupila, o cristalino é uma lente transparente e flexível cujo formato pode ser ajustado para focar objetos em distâncias diferentes. Esse mecanismo é chamado de acomodação.

Localizada no centro da retina, a mácula é a região do olho responsável por distinguir detalhes no meio do campo visual.

A pupila se dilata em ambientes com pouca luz e fica mais estreita quando a iluminação é maior, controlando a entrada de luz no olho. Esses ajustes permitem que a pessoa
enxergue bem à noite e evitam danos à retina em decorrência do aumento de luz no ambiente.

Responsável pela formação do humor aquoso e pela mobilidade do cristalino, o corpo ciliar localiza-se atrás da íris.

Tecido muscular de fina espessura que possui em seu centro a pupila, abertura circular que se ajusta de acordo com a quantidade de luz que entra no olho.

Formada pelos prolongamentos das células nervosas que compõem a retina, essa estrutura ocular tem a função de transmitir a imagem capturada pela retina para o cérebro.

O objetivo da retina é receber ondas de luz e convertê-las em impulsos nervosos, conduzidos até o cérebro, e transformados em percepções visuais.

Líquido gelatinoso e viscoso, formado por fibras, células e uma substância amorfa e semilíquida, que se localiza entre
o cristalino e a retina.